sexta-feira, 3 de abril de 2020

Covid-19: Número de inscritos para as vagas de médicos ainda não atende a necessidade do HU-UFMA


Processo seletivo foi aberto no último dia 1° e precisa de profissionais das especialidades Medicina de Emergência, Anestesiologia, Clínica Médica e Medicina Intensiva
Dois dias depois de publicar edital de processo seletivo supersimplificado, realizado em caráter emergencial, para cadastro reserva, podendo convocar aproximadamente 6 mil profissionais para atuarem temporariamente no enfrentamento à Covid-19 no Hospital Universitário da UFMA e demais hospitais universitários que fazem parte da Rede Ebserh, a empresa, vinculada ao Ministério da Educação (MEC), já conta com mais de 120 mil inscritos. Mas o número de inscritos para as especialidades Medicina de Emergência, Anestesiologia, Clínica Médica e Medicina Intensiva ainda não atende a necessidade da Ebserh. “Serão, aproximadamente, 900 vagas para essas especialidades, mas, até o momento, a procura tem sido baixa e sabemos que a contratação desses profissionais também será imprescindível para garantir o atendimento ao maior número possível de pacientes com Covid-19”, explicou o diretor de Gestão de Pessoas da empresa, Rodrigo Barbosa.
Até o dia 15 de abril, uma parte dos profissionais já estará contratada e trabalhando nos HUs. Os profissionais selecionados poderão ser convocados para atuar no hospital de sua escolha no momento da inscrição, de acordo com a necessidade de cada unidade. O processo seletivo tem como objetivo suprir a Rede Ebserh com profissionais que atuarão na linha de frente de combate à Covid-19 e para reposição de trabalhadores que, por ventura, venham a se ausentar, por conta da doença. Essa seleção é de caráter urgente e temporária, apenas enquanto durar o estado de calamidade decretado pelo Governo, não impactando os concursos públicos em andamento, que continuam seguindo seus trâmites normais.
Ainda de acordo com o diretor, recém-formados também poderão participar, já que há vagas para o cargo de médico sem especialização. Além dos salários, os profissionais contratados receberão todos os benefícios concedidos aos funcionários efetivos, como auxilio alimentação e auxilio transporte. Além disso, farão jus ao adicional de insalubridade, que será pago de acordo com o que prevê a CLT.
Apesar de estar com dois concursos em andamento, com início de contratação prevista para maio deste ano, a Ebserh precisou recorrer a mais uma modalidade de contratação para atender às imediatas demandas no combate à Covid-19. “A possibilidade de antecipar os concursos em andamento foi amplamente estudada, mas trâmites e prazos legais precisam ser cumpridos, o que impossibilitou a antecipação de etapas. Ainda que o processo esteja sendo movido pela urgência, temos tido a necessária preocupação com a transparência, de modo que a empresa tenha à sua disposição os profissionais necessários para o enfrentamento dessa grave crise”, declarou.
A seleção será por meio de análise curricular e avaliação de títulos e experiência profissional. Os interessados podem se inscrever até a próxima segunda-feira, 6ACESSANDO ESTA PÁGINAonde deverão ler o edital normativo, informar os dados pessoais, fazer upload dos documentos obrigatórios e escolher o hospital em que prefere atuar, caso seja convocado. O resultado da seleção será divulgado na quarta-feira, 8.
Atuação da Rede Ebserh
Desde os primeiros anúncios sobre o Covid-19, a Rede Ebserh tem trabalhando em parceria direta com os ministérios da Saúde e da Educação, com participação nos Centros de Operações de Emergência (COE) desses órgãos, e tendo como diretrizes o monitoramento da situação no país e em suas 40 unidades hospitalares. Também tem atuado na realização de treinamento de funcionários da Rede, promoção de webaulas, definição de fluxos e instituição de câmaras técnicas de discussões com especialistas.
Em algumas regiões, as unidades da Rede Ebserh têm atuado como hospitais de referência ao enfrentamento do Covid-19, enquanto que em outras, atuam como retaguarda em atendimentos assistenciais para a população, por meio do Sistema Único de Saúde.
Com informações da Coordenadoria de Comunicação Social da Rede Ebserh

Com Rubens Jr, região da Ilhinha ganha duas praças e área urbanizada

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), entregou nesta sexta-feira (3), duas praças revitalizadas que fazem parte das obras de urbanização do PAC Ponta do São Francisco. A iniciativa consolida as ações do Governo em promover espaços de lazer nos bairros. 
Para conter a pandemia do Covid-19, o Governo do Maranhão suspendeu eventos, de qualquer natureza. Por isso, a entrega das praças setor 1 e setor 2 do PAC São Francisco ocorreu de forma simples, com a retirada dos tapumes e limpeza do local. As medidas, em Decreto, que foram anunciadas pelo governador Flávio Dino, têm como objetivo evitar a propagação do coronavírus.
O secretário das Cidades, Rubens Pereira Jr. esteve no local por determinação do governador Flávio Dino para fiscalizar a conclusão da obra e acompanhar a retirada dos tapumes. “A obra do PAC São Francisco, autorizada ainda na época do Governo Dilma Rousseff, prevê urbanização do entorno do local onde temos o programa habitacional Residencial José Chagas. Para nós, é muita felicidade poder deixar à disposição da população este resultado. Estamos deixando as praças à disposição do povo da nossa cidade. A inauguração será após a crise do coronavírus”, destacou o titular da Secid. Rubens ainda explicou que o Residencial José Chagas e a praça do Setor 3 ainda serão entregues para a comunidade este ano.

A intervenção engloba um conjunto de obras de urbanizações com infraestruturas básicas de rede de esgoto, drenagem pluvial, rede de abastecimento de água, rede de iluminação, aterro de áreas sujeitas a alagamentos causados pelo fluxo das marés e construção de equipamentos públicos de apoio à pesca e lazer. São investimentos na ordem de R$ 7,6 milhões que resultam em um complexo com três praças, e o Residencial José Chagas, que vai beneficiar 256 famílias que vivem em vulnerabilidade social na região da Ilhinha.
Entregas
As duas praças, entregues na sexta-feira, são as obras urbanísticas dos equipamentos públicos que apresentam estética simples e moderna. A praça do Setor 1, que fica ao lado do Residencial José Chagas, contemplará as famílias e toda comunidade em geral com espaço para caminhada ao ar livre, academia ao ar livre, playground para as crianças, área de vivência com caramanchão e um espaço livre para eventos cristãos. 

Já a praça do Setor 2 possui quadra poliesportiva coberta (futsal, handebol e basquete), quadra de areia (futebol de areia e vôlei), área de vivência com caramanchão, plantio de gramas, bicicletário, iluminação, instalação de novos bancos e urbanização para caminhada margeando toda a praça.
Diego Nascimento – responsável pelo menino Caio, criança que recentemente teve um vídeo viralizado jogando futebol no bairro São Francisco – acredita que não só as quadras para os esportes, mas as praças vão contribuir muito para o desenvolvimento das crianças e da comunidade em geral. “Essa obra do PAC São Francisco é muito importante para nossa população que há anos buscou por um espaço de lazer. É um marco para todos nós. Estou muito feliz porque as pessoas vão ter um espaço para conversar, de lazer”.
Projeto PAC Ponta do São Francisco
A intervenção engloba um conjunto de obras de urbanização com infraestruturas básicas de rede de esgoto, drenagem pluvial, rede de abastecimento de água, rede de iluminação, aterro de áreas sujeitas a alagamentos causados pelo fluxo das marés e construção de equipamentos públicos de apoio à pesca e lazer. São investimentos na ordem de R$ 7,6 milhões.

Para apoio à atividade pesqueira, está prevista ainda a construção de estacionamentos, rampas de acesso pesqueiro ao Rio Anil e Bacia de São Marcos, além de galpão de apoio a comunidade pesqueira. O local será um novo atrativo turístico de São Luís, pois a área poderá ser utilizada para promoção de passeios de barcos, de catamarã, jet ski, outros esportes e atividades, bem como geração de negócios dos bairros da Ilhinha.

Reitor Natalino Salgado concede grau a formandos de medicina por meio de videconferência



SÃO LUÍS - Pela primeira vez na história da Universidade Federal do Maranhão, foi realizada, nesta sexta-feira, 3, a outorga de grau por meio de videoconferência. A solenidade virtual reuniu 65 estudantes de Medicina dos câmpus de Imperatriz (22), Pinheiro (33) e São Luís (10), que receberam o grau referente ao primeiro semestre de 2020.

A cerimônia atende ao que determina a Medida Provisória Nº 934, de 1º de abril de 2020, publicada no Diário Oficial da União, que estabelece normas excepcionais sobre o ano letivo da educação básica e do ensino superior decorrentes das medidas para enfrentamento da situação de emergência de saúde pública de que trata a Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020. Com base na MP, a Universidade Federal do Maranhão publicou a Resolução nº 1979 - Consepe, que autoriza, excepcionalmente, a antecipação da Colação de Grau de discentes que estejam no último período dos cursos de Medicina, Farmácia e Enfermagem, no âmbito da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em virtude da situação decorrente do Coronavírus (SARS-COV-2).

Segundo a resolução, caberá a cada coordenação de curso providenciar a lista de discentes aptos para antecipação de que trata essa Resolução a ser encaminhada, por meio de processo, ao Gabinete da Reitoria para homologação com a respectiva documentação comprobatória da situação acadêmica.

O reitor Natalino Salgado conduziu a solenidade, por meio da videoconferência, agradeceu a presença dos estudantes, dos familiares, dos coordenadores do curso nos câmpus e da pró-reitora de ensino, Isabel Ibarra.

“Diante das normas da Universidade, o momento é totalmente atípico. Este momento, que hoje culmina com a colação de grau, se dá em função da necessidade de nós termos profissionais que se colocarão à disposição da assistência médica do país coordenada pelos gestores da saúde pública, para que enfrentemos uma diversidade mundial do coronavírus. A maioria dos estados tem decretado calamidade de saúde pública, e há uma ampla mobilização, visto que estamos no início do pico dessa doença no Maranhão e sabemos que o desfecho deve ser muito desfavorável para a nossa população”, afirmou o reitor, sentindo-se orgulhoso pelo momento e com a sensação de dever cumprido ao entregar profissionais que fortalecerão o sistema de assistência hospitalar do estado.

A formanda Juliane Fonseca, do câmpus de Pinheiro, falou em nome dos demais formandos e agradeceu o apoio que a Universidade tem dado. “Neste momento de isolamento social, utilizar as tecnologias para realizar um momento que é de grande importância para todos nós nos deixa felizes. É um momento de vitória, não foi fácil durante todos esses anos, muitos de nós tivemos que ir para outra cidade e enfrentar diversos desafios. Este é um momento que podemos dividir com os nossos amigos, e estamos reunidos aqui com muita alegria para comemorá-lo. Toda essa situação bem diferenciada se tornou possível por meio deste instrumento, a nossa formatura”, disse.

Para o coordenador de Medicina de Pinheiro, Raimundo Nonato, é com orgulho que, em menos de 24 horas, toda a documentação foi preparada para dar condições para que os estudantes se engajem nessa luta junto com todos os profissionais da saúde.

“Quero parabenizar os formandos, porque este é um momento de desfecho de várias histórias que foram construídas ao longo de seis anos, histórias que não foram simples e fáceis. A UFMA está dando um exemplo muito significativo para o país e de como o serviço público deve ser. É importante que este momento seja simbólico, por isso montamos uma ‘tropa’ para lutar contra o inimigo que está à solta, e, com a união e o esforço de todos, esse inimigo pode ser vencido”, frisou o docente.

O diretor do câmpus de Imperatriz, Daniel Duarte, parabenizou a gestão por esse momento. Para ele, foi uma resposta muito rápida para toda essa demanda que a sociedade vivencia. “Quero também parabenizar os formandos, porque essa é uma conquista muito grande, e nós sabemos a labuta que é, no dia a dia, enfrentar a universidade com todas as suas dificuldades. Vocês merecem todo este momento, esta felicidade e gratidão que vocês terão de estarem formados e, a partir de hoje, deixarem de ser alunos para serem médicos e estarão carregando o nome da Universidade Federal do Maranhão daqui para a frente. Esperamos que vocês estejam atuando, salvando vidas e contribuindo para a sociedade”, desejou.

Cézar Bombeiro pediu ao prefeito o adiamento dos tributos IPTU, ITBI e INSSQ e ele anunciou apenas o IPTU


Respaldado na portaria do Ministério da Economia de nº 103, de 17 de março de 2020, que “Dispõe sobre medidas relacionadas aos atos de cobranças da dívida ativa da União, incluindo suspensão, prorrogação e diferimento, em decorrência da pandemia declarada pela Organização Mundial de Saúde relacionada ao novo coronavírus, e dá outras providências, que ensejou a suspensão dos atos de cobranças pelo prazo de 90 dias por parte da Procuradoria da Fazenda Nacional, o vereador Cézar Bombeiro decidiu encaminhar ao prefeito Edivaldo Holanda Junior, solicitação pedindo a suspensão do recolhimento dos tributos municiais ITBI, IPTU e ISSQ.

Cézar Bombeiro destacou ao dirigente municipal que, os tributos acima mencionadas, que viessem a vencer em março, abril e maio, fossem transferidos para outubro, novembro e dezembro, levando-se em conta a realidade que é vista por todos não apenas em São Luís, no Maranhão e no Brasil.

Apesar da solicitação ter sido encaminhada ao prefeito Edivaldo Holanda Junior, desde o dia 25 de março, havia uma grande expectativa de que chefe do executivo municipal viesse a se identificar com a séria problemática que atinge todos os segmentos produtivos que têm a obrigatoriedade de recolhimento dos citados tributos. Para a frustração de muita gente e de um modo especial a rede hoteleira que vem atravessando o problema seriamente que, o remete até fechar vários estabelecimentos temporariamente, o prefeito decidiu apenas transferir de maio para junho o pagamento do IPTU, que geralmente é feito no mês de junho, o que significa que o dirigente municipal se manifestou totalmente contrário. Diante do exposto, o prefeito deu exemplo de que ele está na contramão do que vem fazendo os governos municipais, estaduais e federal em todo o país para o enfrentamento a Covid-19. O vereador Cézar Bombeiro lamentou profundamente a atitude ao prefeito Edivaldo Holanda Junior, mas pretende debater a problemática na Câmara Municipal.

Flávio Dino cobra de Mourão retomada urgente do Fundo Amazônia


O governador do Maranhão defendeu cobrou também organização das políticas de combate ao Covid-19 no Brasil

Governador defendeu que o fundo pode auxiliar na aquisição de equipamentos de combate aos incêndios florestais e financiar políticas públicas (Foto: Lorena Ribeiro)

Em videoconferência com o vice-presidente Hamilton Mourão, o governador Flávio Dino defendeu a retomada do Fundo Amazônia para auxiliar os estados da Amazônia Legal na prevenção às queimadas. 

“Podemos enfrentar uma tempestade perfeita: o apogeu do coronavírus, iniciando logo em seguida o período de estiagem e queimadas na Amazônia. Temos que evitar isso com prontidão”, apontou o governador. 

Na visão do governador Flávio Dino, o fundo pode auxiliar na aquisição de equipamentos de combate aos incêndios florestais, além de financiar políticas públicas para as populações vulneráveis da região.

Segundo Mourão, a Alemanha, que aporta 20% dos recursos do Fundo Amazônia, está disposta a descongelar o subsídio. “A Alemanha está pronta para liberar esse recurso”, disse. 

A reunião, provocada pela vice-presidência da República, apresentou aos governadores da Amazônia Legal a estruturação e as estratégias do Conselho Nacional da Amazônia, presidido por Mourão, mas o combate ao Covid-19 no país acabou entrando na pauta.

O governador Flávio Dino defendeu ainda a melhor organização das políticas de combate ao Covid-19 no país, para um enfrentamento da doença. “É muito importante a existência de padrões nacionais para minimizar polêmicas e dar segurança jurídica”, defendeu.

Defesa da Amazônia

Entre as propostas apresentadas pelo Conselho para a defesa da Amazônia, está o uso da Força Nacional para reforçar o patrulhamento da região. Para o governador Flávio Dino, a medida pode ser aprimorada com a criação de equipe exclusiva e permanente. 

“O modelo da Força Nacional foi criado como algo transitório, e acabou se tornando perene. Ela é uma cessão dos policiais e bombeiros dos estados para integrar um corpo transitório sob o comando do Ministério da Justiça. A questão da Amazônia demanda algo a mais, além da presença do Exército e da Polícia Federal”, pontuou Flávio Dino. 

O governador Flávio Dino defendeu ainda o Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE) e a regularização fundiária eficientes na região. “É uma questão que envolve todos os estados e é extremamente importante, com especificidades muito próprias do solo amazônico, que não se estendem a outros estados do Brasil. Precisamos da atualização do ZEE da Amazônia Legal”, assegurou.